O livro

Aníbal Augusto Milhais (1895-1970) partiu de Portugal com pouco mais de 20 anos rumo à Flandres francesa, como «carne para canhão» numa guerra que ceifou a vida a milhões de pessoas.

k_MilhaisA sua coragem fez dele um herói: na Batalha de La Lys, contrariando as ordens de um oficial, ficou a cobrir a retirada dos seus camaradas portugueses e britânicos. Acompanhado de uma metralhadora ligeira Lewis, a sua Luisinha, foi protagonista de um ato de bravura reconhecido. Depois de dias a vaguear sozinho por trincheiras e descampados, regressou para junto do seu batalhão. E a lenda nasceu.
Ainda na Flandres, passa a ser chamado Milhões (numa alusão ao seu valor) e é condecorado com a Ordem de Torre e Espada. Torna-se, aliás, o único soldado raso a receber ainda em França a mais alta condecoração a que um militar português pode aspirar.
Em 1919, regressa a Valongo (actualmente Valongo de Milhais), casa e tem filhos. A sua história parecia terminada e vetada ao esquecimento quando, em 1924, o jornal Diário de Lisboa decide resgatar o herói fazendo dele uma lenda viva. Numa época em que a República se encontrava moribunda, a exibição de um herói capaz de aglutinar massas em torno do regime e fazer esquecer o estigma de um «Alcácer Quibir do século 20» revestia-se de grande relevância.
Depois disso, a Pátria não se esqueceu do seu herói. Chamou-o recorrentemente para o mostrar em cerimónias de regime, sempre que foi preciso enaltecer a nação e exaltar os valores da «raça». E Milhões lá aparecia onde quer que fosse chamado, fardado e com seis medalhas reluzentes ao peito.
O jornalista Francisco Galope investigou a história deste transmontano e as muitas lacunas e incongruências que a rodeiam, recorrendo a arquivos, jornais da época e a entrevistas com familiares do próprio Milhões. O resultado é uma narrativa surpreendente, repleta de pormenores e curiosidades, que se lê como se de um romance histórico se tratasse.

Clique AQUI para ler o prólogo

Anúncios

6 pensamentos sobre “O livro

  1. Obrigado, João.
    Será, também graças ao papel que tiveste nele.
    E obrigado por testares a caixa dos comentários 😉
    F

  2. Só pode ser um sucesso!! Estou ansiosa para o ler e ver nas livrarias.

Comente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s